GERAL
Typography

A Justiça de Cacequi negou o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) de afastamento cautelar imediato do vereador Dionísio Prates de Oliveira (PTB). 

De acordo a Juíza da Comarca local, Dra. Larissa de Moraes, o afastamento do parlamentar é uma ação que só deve ser tomada  em última proposição.

“Entendo que não é cabível o afastamento liminar, mas aplico ao acusado medidas cautelares”, explicou Juíza.

Entre as medidas cautelares estão: proibição de ameaçar ou intimidar qualquer uma das testemunhas citadas pelo MPE, as que eventualmente forem indicadas durante o processo e de se manifestar sobre o processo nas sessões da Câmara de Vereadores. 

PINDUCAOCAMAA.jpg

CURTA NOSSO FACE!!

FIQUE INFORMADO,RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DIRETO NO SEU E-MAIL:
Google+